Zahed-ahmad-1151510-unsplash

Babywearing

Fiquei a pensar: o que escrever no meu primeiro texto? Que mensagem queria passar? O que gostaria de contar? Bem... sobre o assunto maternidade há muita coisa para contar, partilhar, desabafar... Mas decidi falar de algo que, tanto para mim, tanto para a minha filha, foi indispensável no primeiro ano de vida dela. Desde que a A nasceu, gostou sempre de estar à minha beira e nunca gostou de espreguiçadeira ou babycoque. Gostava mesmo era de estar à minha beira ou à beira do pai.


Enquanto o pai esteve comigo, no primeiro mês, em casa, era relativamente fácil conciliar todas as tarefas do dia-a-dia com a chegada do novo bebé. Contudo, quando ele regressou ao trabalho eu fiquei em casa sozinha e ficava aflita com algumas tarefas simples como: pôr a roupa a lavar, preparar um lanche ou ir às compras. Então decidimos que devíamos experimentar numa loja um marsúpio. Ela chorou a primeira vez que experimentámos, mas alguns minutos depois ficou quietinha, parecia gostar de estar ali. Pronto! Levamos para casa! Desde então usei sempre o marsúpio para tudo: tanto em casa, como para sair com ela. Em todos os passeios e encontros com as mamãs lá estava eu com a A no marsúpio! Ela adorava estar caladinha a mim, sentir meu cheiro e estar quentinha no meu peito. E eu gostava de carregá-la assim. Podia fazer-lhe sempre miminhos e era ótimo para estar com as mãos livres.

Não era apenas nos passeios que recorríamos ao marsúpio: muitas vezes usamos de SOS quando não a conseguíamos readormecê-la quando ela acordava às 3 da manhã e queria festa! Eu ou o pai púnhamos o marsúpio e íamos a sala dar umas voltas e era a forma de a por a dormir novamente.

O marsúpio foi sem dúvida a melhor compra que eu fiz para a A.

Ajudou-me imenso no início quando ela chorava por eu me afastar um bocadinho, ou quando íamos passear e ela chorava na babycoque; bastava colocá-la no marsúpio, que ela acalmava logo e, muitas vezes, até adormecia.

Comecei usar o marsúpio quando ela tinha um mês e meio e só deixei de usar tanto quando ela começou a andar aos 9 meses (mesmo cedo, eu sei!), porque nesta fase queria que ela explorasse o mundo por si só a desenvolver o andar.

Olhando para trás consigo ver as múltiplas funcionalidades do marsúpio e queria partilhar esta experiência com outras mães, pois o marsúpio, para mim, foi sem dúvida um grande aliado.

Comente este artigo