Colegio-2

Já vai para o Colégio...


Todas as Mães e Pais são forçados a passar por esta fase. Acaba o período que nos é permitido tomar conta a tempo inteiro dos nossos filhos, em alguns casos 2 meses, 3, 4 meses, noutros 5 e noutros casos mais tempo…

O certo é que aquele bebé pequenino que ainda ontem dava aulas de ginástica na nossa barriga, e que tem passado dias, horas grudado no nosso calor, no nosso aconchego e proteção, tem agora que ser mimado e cuidado por outros...que nos são desconhecidos.


Este post serve um pouco como desabafo, provavelmente nem todas as Mães lidam com esta fase da mesma forma, mas na gravidez sempre me disseram: - “Ui, quando deixares no colégio vais chorar largo!”. Eu não tinha muito presente o quanto me ia custar. Quando chegou o dia, foram apenas umas horas, de certa forma senti que estavam a arrancar um pedaço que era meu. É muito drástico, mas sim foi o que senti! Não fazia sentido nenhum na minha cabeça, porque é que uma Mãe tem que se separar do seu bebé tão pequenino e entregar aos cuidados de outra pessoa? Sim, eu sei que faz bem, sim eu sei que temos que voltar à vida normal e ganhar dinheiro para cuidar deles. Sim, eu sei… mas nestas coisas do coração a razão fica um pouco perdida. E por isso escrevo do coração.

No primeiro ano de vida um bebé é super dependente dos Pais, principalmente da Mãe, e era tão bom se houvesse oportunidade de ficarmos mais tempo do que já é previsto ou possível... Talvez um dia.


No meu caso teve mesmo que entrar no colégio com cerca de 9 Meses (e sim, tive muita sorte, mas ficava muito mais!). Custou no primeiro dia, no segundo, no terceiro, custou 15 dias, e ainda custa. Vamos criando uma relação de confiança com quem fica com eles, e quando vemos que já se atiram dos nossos colos na porta da salinha, sentimos uma espécie de brisa na nossa consciência. Mas continua a doer. Passamos o dia inteiro a processar as mais variadas informações de trabalho, mas uma parte está sempre a pensar: “Como é que está? Comeu bem? Dormiu bem? Será que se magoou?”.

Valham-nos os profissionais desta área, que no meu caso entenderam o aperto desta recém Mamã e foram amenizando a dor de todas as formas possíveis.

Isto é ser Mãe, mas eles têm que voar e ser independentes e todas as pessoas são importantes para a formação dos nossos mais que tudo. Mas, a quem está a passar por essa fase, sim, custa de facto, mas quando chegamos ao fim do dia e vemos os sorrisos maravilhosos, a vida tem outra dimensão novamente!

Comente este artigo