Curology O7ibnti R6k I unsplash 111

Enjoos na gravidez!

Mamãs…quantas de vocês sofreram ou estão a sofrer de enjoos na gravidez?

A gravidez pode ser um estado de graça, um período de plena felicidade e amor... mas, ao mesmo tempo, é uma fase cheia de mudanças ao nível físico e emocional, e com essas mudanças podem vir também os tão indesejados enjoos.

Segundo as estatísticas, a maioria das mulheres só tem enjoos no primeiro trimestre de gravidez. Mas, se vocês estão no último trimestre e ainda não conseguem passar o dia sem o velho e bom amigo Nausefe, sejam bem vindas ao clube das “ grávidas enjoadas desesperadas”. Por aqui, usamos e abusamos de Nausefe e ainda assim, era raro o dia que não acabasse a vomitar a alma. Eu sei que o cenário não é bonito, mas é a mais pura das realidades, eu tomei Nausefe até ao dia de a minha princesa nascer, e quem me dera que tivesse sido diferente.


Eu tentei de tudo! Todas as mezinhas e truques que ia ouvindo de amigos e família e a verdade é que nada resultava. Bebi água com gengibre até não aguentar mais, tinha comida na mesa de cabeceira para comer de manhã antes de me levantar, bebia imenso leite por causa da acidez do estômago, comia a toda a hora para não ter o estômago vazio, chupava pedras de gelo...bem, acho que não deve ter existido nada que eu não tenha tentado. Resultado final era quase sempre o mesmo, acabar a noite na casa de banho.

E sim, quando digo noite, é mesmo noite! Porque isso de dizerem que são enjoos matinais não é de todo verdade. Eu enjoava a qualquer hora, em qualquer lugar, em repouso ou atividade. Comer dava enjoos, mas estar em jejum era ainda pior, fazer exercício físico dava enjoos, lavar os dentes era vómito na certa, o calor propiciava os enjoos e andar de carro era desesperante, até a conduzir. Olhava para a comida e tinha imensa fome, mas quase sempre acabava a deitar tudo cá fora.

Para quem passou por uma gravidez com enjoos, sabe que há três tipos de dias diferentes: aquele em passamos o tempo inteiro com aquele nó no estômago e na garganta, mas que não chegamos a conseguir fazer nada por isso...nem comer, nem vomitar, nem simplesmente funcionar; aquele dia em que, sem aviso nem motivo aparente, vomitamos do nada, repetidamente e sem sequer conseguir controlar; e aquele em que as pequenas rotinas do dia a dia nos levam a ter episódios de vómito pontuais, mas que de seguida, nos sentimos capazes de fazer uma vida completamente normal, e comer este mundo e o outro. Pois bem, para quem sofre de enjoos, sabe que deseja desesperadamente a terceira opção, por muito má que ela possa parecer.


Mas o que vos posso dizer?!... Tenham muita paciência, muita calma e pensem que é temporário. No dia que a minha pequena nasceu, os enjoos automaticamente desapareceram, como se alguém tivesse desligado o botão. Por isso tranquilizem-se...nós estamos cá e estamos solidárias convosco. Apenas pensem...no final os enjoos passam e vocês terão a melhor recompensa de toda a vossa vida...o vosso bebé!

Comente este artigo