Vladislav-muslakov-261627-unsplash

Sexo... e agora?!

Para todas as bem-afortunadas almas que trouxeram ou têm intenção de trazer ao mundo um bebé maravilhoso por parto normal, esta "conversa" pode interessar-vos.

Hoje não vos vou falar da falta de vontade para voltar aos "treinos", ou do cansaço que só permite executar tarefas estritamente necessárias, ou da falta de intimidade que nos assola depois de dois meses fora do ativo (ou dos meses que vocês precisarem). Embora tudo isto aconteça e seja pura verdade, isso é conversa para outro dia. Hoje falamos de sexo, apenas sexo, e dos aspetos mais mecânicos do ato.


Agora que o parto já passou... agora que os pontos já cicatrizaram... agora que até já passou um mês ou dois... chegou a hora de voltar a ter uma vida sexualmente ativa. Sim, porque pensamos que está na hora de voltar ao "normal" e não queremos perder a tal intimidade do casal, já tão abalada. Ora bem, isso achamos nós ou, pelo menos, foi o que nos disseram. Ou será que não disseram? No centro de saúde ou no ginecologista vão dizer-vos na consulta do pós-parto que vocês já podem voltar a ter uma atividade sexual regular e que o vosso organismo já está preparado e até já vos dão uma pílula como contracetivo. Tretas!!! A verdade é que toda a gente nos prepara para o parto e o pós-parto, mas ninguém fala do que vem a seguir.

Pois bem, minhas caras amigas, não são rosas o que por aí vêm. Dor, ardência, sensação de queimadura, é isto o que vos espera. E vai acompanhar-vos por uns tempos. No início dói bastante (faz-vos pensar, se calhar, é melhor deixar para outro dia), depois a coisa começa a aquecer e até vai... no final, vem o ardor e a sensação de queimadura. O que vocês vão sentir é que estão muito mais "apertadas" do que eram antes, ao contrário do que podem ter já ouvido de algumas cabeças inteligentes e iluminadas, que as mulheres depois do parto ficam todas mais "largas". Esqueçam lá isso! O bom senso e sapiência não assistem a toda a gente. A experiência deste grupo de mães revela exatamente o contrário.

Mas calma!... a dor não é insuportável, e é só no início, e a sensação de queimadura ou ferida passa ao fim de uma hora ou duas. Mas é algo que provavelmente vos vai incomodar e fazer pensar duas vezes em querer repetir a dose. E se, por acaso, à primeira vez desistirem mesmo, não se sintam mal, passou pela cabeça a todas nós e, com certeza, aconteceu com muitas também.

Para alguns membros do género masculino que possam estar a ler este texto (eu espero que os haja), tenham paciência e muito carinho com as vossas mulheres, elas estão a fazer o melhor que conseguem.

Para as sortudas e bem-aventuradas a quem nada disto aconteceu... sorte a vossa, e não se gabem, por favor.

Para as pobres e tristes almas que padecem ou já padeceram deste mal, só posso dizer-vos... força, vocês não estão sozinhas! Sei que não vos servirá de consolo, mas com o tempo tudo vai voltar ao normal e já poderão pensar, com vontade, em "treinar" bastante para o próximo.

M
Maria Filomena

Frontal e verdadeiro. Muito bom

Comente este artigo